Entrevista: Daniele Krauz fala de sua banda a DKRAUZ (6/11/15)

Banda DKrauz,  Guarapuava-Pr, fundada por Daniele Krauz,  composições de Metal Melódico , Goth Metal e toques de Progressivo. A formação atual conta com Daniele Krauz nos vocais, Felipe Milla nos teclados, Lukas Almeida na guitarra, Paulo Werneck no baixo e Fábio Danicken na bateria.

FMBR:Como surgiu a ideia da banda

DKrauz: A banda surgiu do sonho de Daniele Krauz de transformar seu amor pela música em algo profissional. A princípio tratava-se de um projeto solo, pois as músicas…
ficaram engavetadas nove anos esperando um momento apropriado para serem gravadas. Depois de lançado o EP Insight (2014) é que sugiram os músicos que vieram complementar o trabalho e possibilitar a elaboração do CD.  O incentivo a desenvolver habilidades musicais, conhecer melhor o cenário musical da região e produzir material nessa área também moveu os músicos a juntarem-se ao projeto.

FMBR: Quais são as suas influências?

DKrauz: Alguns membros da banda são mais focados em poucos gêneros, enquanto outros são ecléticos. Nas composições e arranjos se nota influências de Pink Floyd a Jorn Lande. Os vocais lembram Nightwish, que é uma influência inegável também, mas a intenção é criar uma identidade própria. Todos os clássicos nos dão a técnica e conhecimento necessários para desenvolver um trabalho elaborado mais consistente. Também não ficamos presos a gostos pessoais, há abertura tanto para conhecer novos estilos e bandas como para incorporar elementos que possam oferecer um toque inusitado e de bom gosto.

A influencia é bem eclética, pois inclui o metal e rock clássico e moderno, estilos comerciais e gêneros não comerciais como Fusion, New Age. Tenta-se agregar algumas características desses estilos menos convencionais ao metal progressivo, criando um gênero musical muito variado, bem elaborado e que exige muitas técnicas dos músicos.

Tudo isso torna difícil enquadrar a banda em um gênero específico no metal, cada pessoa que ouve associa a algo diferente.

FMBR: Existe para vocês o conflito entre ser uma banda autentica e ser uma banda comercial?

DKrauz: Desde o início a intenção é ser fiel a música. O público do Metal Melódico e do Gothic é bastante específico, apesar de termos influências mais amplas. Se o foco for atender a um público comercial se incorre na possibilidade de perder a identidade da banda, dos músicos em si. Não se pode correr o risco de perder a identidade da própria música. É necessário vender e fazer shows, mas acreditar na qualidade e na verdade do seu próprio trabalho é fundamental.

Todos os artistas correm o risco de passarem despercebidos, é um trabalho exaustivo chegar até os meios que possam promover sua arte. De fato uma banda autêntica sofre muitas dificuldades. Entre as enfrentadas pela nossa banda há a falta de capital para investimento, pouco reconhecimento, nenhuma remuneração, poucas possibilidades de entrar em palco, essas coisas acabam pesando bastante.

FMBR: Qual o maior objetivo de vocês hoje?

DKrauz: Como todas as bandas sérias desejamos ser reconhecidos, ter sucesso, um público que garanta shows, promover as músicas internacionalmente.  Uma banda quer tocar, poder viver de sua música. O nosso objetivo é chamar atenção de fãs e da mídia e ao mesmo tempo produzir um álbum de músicas autênticas. 


FMBR:
O que motiva a banda a seguir em frente?

DKrauz: Conhecemos nosso potencial.  Percebemos nossas dificuldades, mas compreendemos que podemos ir muito longe.  Temos conhecimento e ainda podemos aprender muito mais, temos boas idéias, as músicas tem tido ótima aceitação, isso nos deixa confiantes. Temos uma boa comunicação com o público, recebemos um feedback muito positivo, isso nos mostra que estamos no caminho certo.

Nós temos a vontade de ser conhecidos no cenário musical da região, criar um trabalho autêntico e de qualidade e, principalmente, se divertir ao subir ao palco e mesmo fora dele.

FMBR: O que vocês acham da cena do rock/metal no Brasil hoje?

DKrauz: A cidade de Guarapuava já é grande celeiro para bandas de qualidade. Conversando com bandas de outros estados encontramos muitos músicos de valor. Mas há também uma insatisfação geral pela dificuldade de alcançar público pagante, conseguir lugares para tocar. A real causa do problema parece que ainda ninguém conseguiu concluir, mas também há discussões e a vontade de resolver.

FMBR: Se tivessem a oportunidade de tocar em um grande festival  ou trabalhar com alguém/alguma banda, quem/qual  seria?

DKrauz: Acho que a lista seria muito grande para conseguir escolher um. Entre bandas nacionais e profissionais como músicos e produtores há vários nomes. Se formos pensar em nossos ídolos a coisa fica ainda mais complicada.

FMBR: Força Metal BR agradece à banda a disposição, confiança e tempo gasto gentilmente para responder a nossa entrevista, deseja muito sucesso e deixa o espaço livre caso queiram dizer algo.

DKrauz: Agradecemos o convite do site, contar com parcerias como esta é muito importante para criarmos espaço e alcançarmos possíveis fãs. Convidamos todos os leitores a visitarem nosso site e nossas redes sociais para baixarem as músicas do EP Insight gratuitamente, assistirem nossos clip, ficarem por dentro das novidades. E claro deixarem seus comentários, que são de muito valor.

http://forcametalbr.blogspot.com.br/2015/11/entrevista-daniele-krauz-fala-de-sua.html

You may also like...

Leave a Reply

%d bloggers like this: